Blog

21/03/2014
 

A nova relação entre mulheres e automóveis

a-nova-relação-entre-mulheres-e-carros

A nova relação entre mulheres e automóveis. Com certeza você já ouviu frases do tipo: “mulher no volante, perigo constante”, porém o termo um tanto machista esta cada vez mais fora da realidade, e a sociedade se vê diante de uma mulher  independente, conquistando altos cargos no mercado de trabalho, presente na política mundial, e também é claro no setor automotivo.

Uma pesquisa feita, em 2011, pela empresa de pneus Dpaschoal, mostra que 45% das compras de automóveis são realizadas por mulheres; o estudo também mostrou que o público feminino tem opinião formada sobre automóveis, hoje elas decidem qual carro comprar, e sabem comparar marcas e negociar preços, uma realidade que até alguns anos atrás era inimaginável.

A psicóloga Claudia Garcia Coelho Paradinha  é um exemplo de mulher independente, ela usa o carro para as atividades do dia-a-dia, e hoje não conseguiria ficar sem o automóvel. “Se eu ficar sem carro, não consigo realizar todas minhas atividades diárias em tempo hábil.”

Porém, a realidade nem sempre foi essa, Claudia comenta que teve que superar seus medos para encarar o volante. “Dirijo há 16 anos, mas tenho carta há 26 anos. Fiquei mais ou menos 10 anos sem dirigir, pois tinha receio de não conseguir, de fazer algo errado, de ser incapaz, medo de dar vexame, quando decidi enfrentar os meus medos, percebi que eram tão infundados e entendi que eu era a maior agente de preconceito contra mim mesma” explica.

Esse medo presente na vida de algumas mulheres pode ser sinal da pressão masculina, pois por mais que seja visível esse avanço na relação entre mulher e carro, ainda existe muito machismo por parte de alguns homens, entretanto esse preconceito está sendo quebrado,  através de estudos de neurociência, psicologia e inteligência emocional que tem o objetivo de mostrar que esse papo de “sexo frágil” está por fora.

O especialista em transito seguro, Professor Rodrigo Ramalho reuniu alguns desses estudos para explicar que com a evolução humana as mulheres tornaram-se mais adaptadas emocionalmente, voltando os seus sentidos para a proteção e segurança, porém, o especialista ressalta que nem tudo é perfeito. “O triunfo das mulheres está ameaçado. Ironicamente o maior desafio que elas encontram pode estar dentro de suas próprias exigências, perfeccionismos e ansiedades” explica o especialista.

Apesar de todos esses questionamentos, o fato é que a mulher se estabeleceu no trânsito, e hoje elas são consumidoras independentes “Eu acho ótimo que as mulheres possam conhecer de carro e fazer suas escolhas em relação a eles. Já sabemos quais são nossas necessidades e nos permitimos procurar a melhor opção para supri-las” opina a psicóloga Claudia.

Além disso, a mulherada está ligada nas novidades apresentadas pelas grandes marcas. “Hoje eu me interesso muito por programas, reportagens e propagandas sobre carros. Hoje eu posso dizer que dirigir e escolher meu carro é parte de mim” finaliza Claudia.

Por: Felipe Accácio

Comentários

comentários





Facebook

Likebox Slider Pro for WordPress